Avisar sobre conteúdo inadequado

Beber vinho durante a gravidez

{
}

 TAGS:Já muito se escreveu sobre o consumo de vinho (e o álcool, no geral) durante a gravidez, já que é uma questão que gera muitos debates e investigações. Alguns peritos dizem que se pode beber com moderação durante a gravidez, outros são da opinião de que apenas um copo já é bastante perigoso para o bebé. O que não se discute é que, aquilo que uma mulher come ou bebe durante a gravidez, passa diretamente , através do fluxo sanguíneo, à placenta, para ser, literalmente, ingerido pelo feto. Se uma mulher grávida bebe um copo de vinho, uma cerveja ou um cocktail, o feto consome o mesmo.

O álcool interfere na capacidade do feto para obter oxigénio e alimento suficiente ao desenvolvimento normal das células do cérebro e outros órgãos. Vários estudos demonstram que um feto em desenvolvimento possui uma tolerância ao álcool praticamente nula e que, os bebés nascidos de mães que bebem álcool durante a gravidez podem sofrer graves problemas.

O Síndrome do Alcoolismo Fetal (SAF) consiste num conjunto de alterações mentais e físicas, que se desenvolve em alguns recém nascidos, cujas mães consumiram demasiado álcool durante a gravidez. Um bebé que nasce com SAF, ou inclusive com o menos grave EAF (Efeito Alcoólico Fetal) pode sofrer sérias desvantagens que levem a uma vida de cuidados especiais. Existem investigações que indicam que as mulheres que pretendem ter filhos devem deixar de beber antes mesmo de engravidar.

O debate que aqui se coloca, é o de tratar de perceber quanto é demasiado, ou seja, quando é que o consumo de vinho e outras bebidas alcoólicas se converte num risco para o futuro bebé. Porque, até agora dizia-se que o único limite seguro era o de álcool 0, por outro lado, no Reino Unido, as autoridades sanitárias afirmam que as mulheres grávidas, assim como aquelas que o pretendem ser, podem beber até dois copos de vinho por semana sem risco para o feto.

O Dr. Raja Mukherjee, um especialista em doenças fetais que trabalha na Escola de Medicina do Hospital de St George em Tooting, Londres, fez um apelo às mulheres grávidas, no sentido de que abandonassem completamente o consumo de álcool e afirmou que os hábitos alcoólicos do Reino Unido constituíam um sério problema: existem cada vez mais evidências de que os danos causados ao feto, podem ser causados tanto pelo consumo excessivo de uma noite, como por baixas doses de álcool.

O Departamento Inglês de Saúde, pelo contrário, referiu que a investigação citada pelo Dr. Mukherjee tinha sido realizada em Março do ano anterior, tendo sido parte da estratégia governamental para a diminuição dos danos causados pelo álcool, e que, os dois copos de vinho por semana se consideravam como um limite seguro.

Provavelmente, estes estudos não serão considerados definitivos, e menos ainda pelo facto das suas conclusões serem bastante vagas. Parece necessário continuar a investigar até obter verdadeiras conclusões, porém, dado que o limite de segurança no consumo é desconhecido, e sabendo que o risco existe, não parece ser sensato beber vinho durante a gravidez. E tu que farias? Quanto achas que se pode consumir sem correr riscos para o feto? Mais ainda: Achas que é possível consumir sem risco?

{
}

Deixe seu comentário Beber vinho durante a gravidez

Entra em OboLog, ou cria seu blog grátis se você ainda não esta cadastrado.

User avatar Your name