Avisar sobre conteúdo inadequado

O Douro dos vinhos

{
}

 TAGS:Tão antiga como rica em micro-climas e variedade de castas, a Região Demarcada do Douro assenta mormente em terras de xisto, um território de beleza impressionante, socalcos seculares que acompanham o percurso do Rio Douro.

Para além de constituir Património Mundial e ser o berço do Vinho do Porto, esta região é também produtora de excelentes vinhos de mesa brancos e tintos, espumantes e moscatel.

Entre as castas autorizadas na elaboração dos vinhos do Douro, as mais utilizadas são a Touriga Franca, a Touriga Nacional (o ?Cabernet português?), a Tinta Barroca, a Tinto Cão e a Tinta Roriz. A maioria dos vinhos é elaborada com várias castas, apesar de também existirem alguns monovarietais, normalmente de touriga nacional, touriga franca e tinta roriz.

A utilização do lagar, com pisa manual ou mecânica, faz parte do método tradicional de vinificação do Douro, porém, alguns produtores, uniram a este um outro método mais recente - as cubas de inox com temperatura controlada durante os processos de fermentação. Se a vantagem do primeiro método reside na capacidade de extração dos taninos, o segundo permite produzir vinhos com aromas bem preservados. O aproveitamento simultâneo dos dois métodos traduz-se em vinhos mais complexos, muito estruturados e densos.

Com mais de 250 anos de existência, a Real Companhia Velha possui um arquivo de documentação histórica (na sua sede em Vila Nova de Gaia), que une os vinhos do Douro a personagens como Pombal, Napoleão e Catarina da Rússia. Esta empresa produz, comercializa vinho do Porto e é proprietária de 535 Hectares de vinha, distribuída por sete quintas também produtoras de vinhos de mesa, como a Quinta das Carvalhas, uma das maiores e mais antigas da região do Douro, ou a Quinta de Cidró, em S. João da Pesqueira.

É desta última quinta que vem a nossa sugestão de compra na Uvinum, um Evel 2010 da Real Companhia Velha, elaborado com uma mescla de castas de tinta, fermentado pelo método das cubas de inox, anteriormente referido e com estágio em balseiros de carvalho francês. Um vinho jovem, com notas de frutos vermelhos bem maduros e redondo em boca.

Bom proveito!

 

{
}

Deixe seu comentário O Douro dos vinhos

Entra em OboLog, ou cria seu blog grátis se você ainda não esta cadastrado.

User avatar Your name