Avisar sobre conteúdo inadequado

Os melhores vinhos da Europa

{
}

 TAGS:Estou em Itália. Pedem-me que traga um vinho como prenda. Que vinho escolho? E na Alemanha? O vinho que aqui me recomendam será reconhecido em casa? Vamos deixar aqui algumas indicações para poder escolher um bom vinho na Europa.

França

O grande dos vinhos franceses é o Champanhe. É difícil deixar para trás os Borgonhas, brancos ou tintos ou os Bordeaux e inclusive aqueles com mais história às costas, como os de Rhone. Na verdade muitos deles são mais caros que uma garrafa deste espumante genial. Mas sem dúvida, a contribuição universal dos franceses ao vinho, é o Champanhe. Mesmo apesar de Dom Perignon, ao qual se atribui a invenção, passou a sua vida a tentar eliminar as bolhas da segunda fermentação. Quis a sorte que ele não o conseguisse e podemos continuar a saboreá-lo. Porém, para o refinar ainda mais necessitamos o pós-Perignon francês. Tanto a viticultura do Champanhe (cultivo da vide) como a produção do vinho requerem uma complexidade de conhecimentos e uma elaboração artesanal, que não é comparável com nenhum outro vinho francês.

Por outro lado, França legou esta arte ao mundo, o método champenoise (método de Champanhe) sem o qual o vinho nunca teria aprendido a sorrir.

Itália

Itália tem maior diversidade do que França, tanto em uvas como em vinhos. Escolher um vinho de Itália pode ser ainda mais difícil...

Os toscanos defendem com unhas e dentes a sua uva Sangiovese (um verdadeiro rival da uva nebbiolo). No entanto, a uva nebbiolo, transformada em vinho Barolo, é mais saboroso, tem maior capacidade de guarda e uma transformação incrível.

Resumindo, simplesmente oferece mais prazer e promete mais do que a Sangiovese. Além de que, no Barolo, a Nebbiolo faz aquilo que uma uva deve fazer e com muito mais estabilidade do que a Sangiovese: reflete o lugar de onde procede.

Espanha

Neste caso, de um país tão próximo, ponderamos sobre que vinho oferecer a um amigo estrangeiro. Qual escolheríamos?

O terceiro dos 3 grandes produtores de vinho europeus (e o terceiro maior produtor do mundo), Espanha coloca um problema a quem escolhe. Mas ninguém disse que seria fácil, pois não? Desde meados do século passado,na ?licenciatura? do vinho em todo o mundo, nenhum país chegou mais longe, quanto à sua recuperação como Espanha. Não só melhorou o vinho espanhol nas zonas tradicionais como o Penedés, ou Rioja, como também e cada vez mais, são aplaudidos vinhos que pertenceram às regiões escuras como o Priorat ou Ribera del Duero, com um aumento proporcional entre a procura e o preço.

Agora, se temos em conta o valor de ?compra segura? para um estrangeiro, essa compra continua a ser Rioja. O Rioja perturba a ideia de que a boca e o nariz não sejam um único sentido. Os perfumes e a persistência do sabor são de tal forma excelentes que fazem com que nos perguntemos porque temos que os desfrutar por separado.

E ainda mais, La Rioja continua a ser um valor para o consumidor de tintos de reserva e harmoniza com uma grande variedade de alimentos.

Alemanha

O melhor vinho branco alemão é o Riesling. E, talvez, o melhor vinho branco do mundo seja o riesling alemão. Aquilo que distingue o riesling é o equilíbrio fantástico e uma acidez brutal, juntamente com a enorme potência de aromas e sabores de fruta. Nenhuma outra uva faz isso tão bem, nem doce, nem seca. Sabias que durante os séculos XIX e inícios do XX, o riesling alemão era mais valorizado e mais caro do que os tintos de Bordeaux (sobretudo porque se podia guardar durante décadas)?

De forma que, sem dúvidas, um vinho branco alemão de uva riesling é uma compra mais do que acertada.

Áustria

O vinho branco de uva Grüner Veltliner justifica a fama da Áustria. Também ajudou a salvar a reputação do país depois do escândalo de adulteração do vinho na década de 80. Anteriormente, neste país abusou-se do alto rendimento da vinha e o baixo nível da adega. De forma a solucionar o problema, a Áustria efetuou regulamentos que elevaram significativamente a qualidade dos seus vinhos e os enólogos optaram pela produção dos vinhos mais secos. Os de Grüner Veltliner são os melhores entre eles.

Grécia

Entramos no mundo antigo da vinificação. Apesar da nossa imagem dos vinhos tintos gregos, o melhor vinho da Grécia é branco e das uvas brancas de Assyrtiko. Os métodos modernos travam a tendência à oxidação da Assyrtiko. Quando é bem feito (e em nenhum sitio se faz tão bem como em Santorini) existem poucos vinhos brancos tão deliciosos e harmoniosos com os alimentos.

 TAGS:Néctar Pedro XiménezNéctar Pedro Ximénez

Néctar Pedro Ximénez

 

 

 TAGS:Matarromera Crianza 2009Matarromera Crianza 2009

Matarromera Crianza 2009

{
}

Deixe seu comentário Os melhores vinhos da Europa

Entra em OboLog, ou cria seu blog grátis se você ainda não esta cadastrado.

User avatar Your name