Avisar sobre conteúdo inadequado

Pretende investir em vinho? O que se deve ter em conta?

{
}

 TAGS:undefinedAs boas vinhas produzem vinho de qualidade, que por sua vez é exportado e importado a muitos países diferentes. Para além do evidente, investir em vinho é, hoje em dia, um bom negócio se for bem feito. É aconselhável rodear-se dos melhores assessores na matéria e algumas outras acções a ter em conta.

Um relatório da BNP Paribas estabeleceu qual é o presente do negócio rural em França e das suas vinhas. A verdade é que se pode fazer um bom negócio se existem meios para investir mas é igualmente importante contar com algumas das tendências actuais, onde se movem os novos consumidores e também os novos investidores.

Este relatório indica que os 12 principais países produtores ainda detêm 84% da produção mundial, ou seja, cerca de 247 milhões de hectolitros. Esta produção aumentou timidamente nos últimos 10 anos, graças aos países produtores de vinho, como a Austrália e a Nova Zelândia, que aumentam a sua produção de vinho, assim como as exportações, anualmente.

Competição?

O estudo também afirma que a competição na Europa não é de uma grande dimensão e que os países produtores de vinho terminam sempre por ser os que mais se destacam a nível de produção e exportação. A competição directa não vem apenas da Austrália, mas também da Argentina e da China, que em poucos anos galgou terreno.

Mantêm-se os países tradicionalmente produtores

Os países que sempre foram produtores de vinho, como França, Itália, Portugal e Espanha são responsáveis por quase 50% da produção mundial de vinho.

França continua firme no seu primeiro lugar a nível de marcas e valor, apesar de já existirem mais países produtores com a mesma importância, 84 das 100 marcas de vinho mais famosas são francesas.

Os principais consumidores 

Ao pretender investir em vinho torna-se necessário estudar os consumidores. Os americanos converteram-se nos maiores consumidores de vinho, o que também é devido ao aumento das exportações de vinho europeu, consequência da crise económica.

 

 TAGS:Pedra Basta 2010Pedra Basta 2010

Pedra Basta 2010: um vinhos tinto com D.O. Alentejo realizado com trincadeira e cabernet sauvignon de 2010 e com um grau alcoólico de 14º.

 

 

 TAGS:Pombal do Vesúvio 2011Pombal do Vesúvio 2011

Pombal do Vesúvio 2011: um vinhos tinto com D.O. Douro da colheita 2011 e 14º de álcool.

 

 

{
}

Deixe seu comentário Pretende investir em vinho? O que se deve ter em conta?

Entra em OboLog, ou cria seu blog grátis se você ainda não esta cadastrado.

User avatar Your name