Avisar sobre conteúdo inadequado

Vinhos da África do Sul

{
}

 TAGS:A primeira elaboração de vinho foi realizada em Fevereiro de 1659 na África do Sul. No inicio não foi fácil, já que os colonos holandeses praticamente não tinham conhecimentos sobre o cultivo da uva e a produção do vinho. A salvação do vinho do Norte deu-se entre 1680 e 1690, quando, à Cidade do Cabo, chegou um grupo de refugiados franceses, os huguenotes, que levavam consigo a tradição vitivinícola francesa e a adaptaram às condições da região. Os primeiros obstáculos que tiveram de ultrapassar foram a grande variedade de climas e solos da Cidade do Cabo, aliados à falta de mercados para exportar o vinho. Este último ponto solucionou-se por si mesmo. Na primeira metade do séc. XX, a ocupação inglesa abriu o mercado mais importante à África do Sul: o inglês.

Sucederam-se numerosas alterações climáticas, económicas e políticas, incluindo a filoxera, porém ao longo deste século, a indústria do vinho da África do Sul foi-se consolidando, melhorando a qualidade dos seus produtos e produzindo alguns dos mais famosos vinhos do mundo.

Variedades de vinhos sul-africanos

Na África do Sul encontram-se as variedades de uva mais comuns do mundo, Chardonnay, Gewürztraminer, Pinot Gris, Sauvignon Blanc, Semillón, Ugni Blanc, Cabernet Franc,Cabernet Sauvignon, Merlot, Pinot Noir, Shiraz e inclusive outras variedades não tão comuns na mesma região.

As variedades mais fora do comum:

Branca:

  • Cape Riesling, uma das maiores variedades da África do Sul, identificada como o Crouchen Blanc francês.
  • Chenel, cruzamento local entre Chenin Blanc e Ugni Blanc.
  • Chenin Blanc, também conhecida como Steen, produz vinhos frescos, frutados, fáceis de beber.
  • Clairette Blanche, uma das variedades sul-africanas preferidas, oferece vinhos de baixo teor alcoólico e baixo nível de acidez. Ainda que não se use  para elaborar vinhos monovarietais, é um constituinte fundamental de muitos vinhos.
  • Há ainda a  Bukettraube, procedente da Alemanha, Colombard, Emerald Riesling, Muscat de Alexandria, a que chamam Hanepoot. Muscadel, Palomino, Rhine e Riesling.

Tintas:

  • Cinsaut, uma variedade versátil, antes conhecida como Hermitage, mas cuja área de cultivo diminui dia-a-dia.
  • Pinotage, cruzamento local entre Pinot Noir e Cinsaut (Hermitage), que produz vinhos encorpados e frutados. Necessita 2 ou 3 anos para alcançar a sua plenitude.
  • Souzão, variedade originariamente procedente de Portugal que produz vinhos de excelente intensidade de cor.

Outras variedades tintas: Gamay Noir, Muscadel Red, tinta Barocca, Zinfandel.

{
}

Deixe seu comentário Vinhos da África do Sul

Entra em OboLog, ou cria seu blog grátis se você ainda não esta cadastrado.

User avatar Your name